Amazon negou oficialmente os boatos de que teria planos parademitir todos os funcionários da área de estoque, que passaria a funcionar de maneira completamente automatizada. Segundo Scott Anderson, diretor da Amazon Robotics Fulfilmment, ainda vai levar 10 anos para conseguir automatizar de maneira completa um simples pedido colhido por um funcionário dentro dos armázens da companhia.

O executivo fez a declaração durante uma visita de jornalistas ao armazém de Baltimore, na última terça (30/04). “Existe uma percepção equivocada de que a Amazon terá estoques completamente automatizados em um futuro próximo”, disse Anderson. “Na forma que existe hoje, a tecnologia é muito limitada. Estamos explorando diversas tecnologias para automatizar todos os passos existentes entre o estoque e a entrega ao cliente final. Mas ainda estamos muito longe dos recursos que permitirão aos robôscontrolarem estações inteiras de trabalho, sem danificar nenhum produto.”

A visita dos jornalistas à empresa de Jeff Bezos aconteceu depois de uma polêmica envolvendo as condições de trabalho dentro da empresa. Segundo grupos trabalhistas e critícos da empresa, os funcionários estariam trabalhando em condições adversas. Além disso, a Amazon estaria automatizando cada vez mais tarefas, diminuindo a necessidade da presença de funcionários humanos.

A Amazon administra 110 armazéns, 45 centros de triagem e cerca de 50 postos de entrega nos Estados Unidos. No notal, são 125 mil trabalhadores trabalhando em tempo integral no setor. A maioria dos armazéns que empregam robôs lida com produtos “gerais”, o que inclui desde lâmpadas e bicicletas até moda e artigos esportivos.

Setores como o de alimentos frescos não foram automatizados, segundo Derek Jones, Diretor Global de Meio Ambiente, Saúde e Segurança da companhia. “Imagine que o armazém precisa atender a um pedido de bananas. Alguns preferem as bananas mais verdes, outros querem as frutas maduras. Como fazer um robô identificar a diferença?”, diz.

Entrega expressa
A empresa também negou que esteja tentanto aumentar o nível de produtividade de seus armazéns por conta de anúncio feito no dia 25 de abril, que muda as regras de entrega da companhia. Na ocasião, a Amazon anunciou que fará a transição para entregar em apenas um dia todos os produtos pedidos por clientes Amazon Prime – atualmente, os pedidos são entregues em dois dias.

Segundo a Amazon, a agilidade será alcançada por meio de alterações nos processos de transporte e entrega. A meta, segundo Anderson, é que o produto deixe o estoque quatro horas depois de ser encomendado pelo cliente. “Esse é o objetivo e pretendê-mos cumprí-lo.”

Durante a visita, a empresa não compartilhou detalhes sobre como a decisão de aumentar seu salário mínimo para US$ 15 a hora, em novembro de 2018, afetou a rotatividade de mão-de-obra. O aumento foi uma resposta da empresa às críticas sobre a maneira como trataria seus empregados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui