Para inaugurar o dia 10 como Dia Mundial da Inteligência Digital, DQ Institute lança iniciativa para democratizar o acesso a oportunidades e preparar a população para ambiente digital

DQ Institute, instituto de educação digital, lançou hoje (10/10) uma campanha para desenvolver padrões mundiais para educação digital em conjunto com empresas e organizações. Em parceria com o IEEE Associação de Padrões (IEEE SA) e o Fórum Econômico Mundial, a iniciativa visa democratizar o acesso a oportunidades e preparar crianças, jovens e funcionários para um mundo mais tecnológico. O movimento também marca a inauguração do dia 10 de outubro como Dia Mundial da Inteligência Digital.

“À medida que a tecnologia avança a uma velocidade sem precedentes, há uma necessidade urgente de capacitar os indivíduos com uma nova forma de competências digitais que possam ajudá-los a se prepararem para o rápido avanço de sistemas autônomos e inteligentes e outras tecnologias digitais em um futuro próximo”, diz Karen McCabe, Diretor Sênior de Relações Públicas e Marketing do IEEE. ”

Os padrões de inteligência digital mundial abordarão: uso, segurança, inteligência emocional, comunicação, direitos e alfabetização. Cada ponto será abordado por níveis de experiência em cidadania, criatividade e competitividade. Segundo o DQ Institute, esses 24 pontos serão trabalhados com outros padrões mundiais de competências digitais e também com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas e o Estratégias de Bem-Estar da OCDE.

O instituto ressalta que uma das características que serão trabalhadas é a inteligência emocional. Para Daniel Goleman, co-desenvolvedor do Goleman, uma das empresas que apoia a campanha, as competências como empatia, influência e trabalho em equipe, diferenciam os seres humanos das máquinas. “Ter inteligência emocional promove a inteligência digital entre os seres humanos e permite que eles aproveitem o poder da inteligencia artificial para fazer melhores julgamentos ”, afirma.

Além dos padrões, o DQ Institute também está lançando um selo para as empresas e organizações que adotarem as medidas. “Dessa forma podemos efetivamente preencher a lacuna de habilidades digitais em todo o mundo e medir nosso progresso com mais eficiência”, diz Yuhyun Park, fundadora do DQ.

Na Inglaterra, a campanha já está mais encaminhada. Junto com a prefeitura de Londres, o DQ Institute está lançando o future.now – uma coalização de empresas, sociedade e governo para incentivar pessoas e negócios a aumentarem as competências digitais locais. A expectativa é alcançar 20 milhões de pessoas.

Fonte: Revista Época

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui