Naquele início da década de 1980, as pessoas viam apenas uma Kombi cheia de peças e componentes para conserto de equipamentos eletrônicos (como rádios e televisores) em circulação nas ruas de Maringá (PR). Mas pilotando o negócio estava Aldo Pereira Teixeira, um jovem empreendedor cheio de sonhos e metas, que não mediria esforços para garantir conforto à família que estava começando a formar. Agora, aos 59 anos, à frente da empresa que leva seu nome, emprega 140 pessoas e teve faturamento de R$ 580 milhões em 2018.

Tudo começou com apenas 21 anos, quando ele se casou e começou a trabalhar na Kombi como representante comercial. O veículo que funcionava como depósito, loja e transporte rendeu a ele o apelido de “Aldo da Kombi”.

“Um ano depois, eu já tinha um pequeno capital e aí nasceu a loja Aldo Componentes Eletrônicos”, lembra. Com o ponto fixo, os negócios continuaram a crescer e a mudar, de acordo com os avanços tecnológicos.

“Eu tinha uma vontade imensa de vencer. Tudo o que fiz e as metas que coloquei foram pela minha família”, diz Teixeira. Ele, a esposa Ruth, 69, e as filhas Karollyne, 34, e Laís, 31, trabalham juntos até hoje na empresa. O segredo para a administração familiar funcionar bem? Ele não tem dúvidas: “Cada um desempenha seu papel dentro de sua função, com autonomia e respeito”.

Aldo vista aérea (Foto: Divulgação)

Eficiência e resultados
Nos anos 1990, a empresa já tinha consolidado a eficiência de distribuição dos equipamentos comercializados e, nos anos seguintes, se transformou em um dos cinco maiores distribuidores de tudo o que envolve Tecnologia da Informação no Brasil.

Ao longo de sua trajetória, a companhia figurou em diversos rankings de eficiência e recebeu certificados e prêmios. Atualmente, a Aldo soma 36 anos de atuação no ramo de distribuição de equipamentos de TI, drones e energia solar de grandes fabricantes globais e nacionais. Em 2018, pela primeira vez, o negócio relacionado a energia solar, introduzido há apenas três anos, foi o maior em faturamento dentro da empresa.

Aldo loja anos 1980 (Foto: Acervo Pessoal)

As metas que o fundador sempre estabeleceu, desde o início do negócio, continuam norteando os rumos da companhia. Não à toa, a equipe internaliza os objetivos e trabalha para chegar, unida, ao ponto proposto. “Todos participam. Um colaborador cobra o outro por eficiência e resultado”, diz Teixeira. Foi assim que, no último ano, a empresa superou a meta estabelecida e cresceu 40% em comparação com o ano anterior. Isso gerou uma PLR (Participação nos Lucros ou Resultados) de cerca de oito folhas de pagamentos aos funcionários.

Para 2019, a intenção é crescer 35%, o que representaria um faturamento de R$ 812 milhões. Também estão previstas novas contratações ao longo do ano. Para crescer tanto, Teixeira se preparou com antecedência: em 2018, foram investidos R$ 40 milhões em um novo prédio com 17 mil m².

“É uma alegria imensurável ter chegado até aqui. Ser empreendedor no Brasil vale a pena. A Aldo é um verdadeiro avalista desse processo. Basta estabelecer metas e colocar foco naquilo que se propõe a fazer’, resume Teixeira.

Fonte: PEGN

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui