No geral, Brasil subiu uma posição em relação a 2018, mas segue na “lanterna” do G20.

A lei tem como objetivo preencher o número elevado de vagas disponíveis no mercado de trabalho na Alemanha (Foto: Pexels)

O Fórum Econômico Mundial lançou a versão 2019 do Relatório Mundial de Competitividade, listando as economias mais inovadoras do mundo. No critério inovação, a Alemanha ficou em primeiro lugar, entre 141 países, enquanto o Brasil terminou em 40º lugar. Estados Unidos e Suíça completaram o pódio.

O ranking analisa, além da capacidade de inovação, mais 11 pilares de competitividade: força das instituições, infraestrutura, adoção de tecnologia de comunicação e informação (ICT), estabilidade macroeconômica, saúde, competências, mercado de produtos, mercado de trabalho, sistema financeiro, tamanho do mercado, dinamismo nos negócios e capacidade de inovação.

No geral, o Brasil ficou bem no meio: 71º lugar. Entre países do G20, o Brasil ficou com a pior colocação, três posições atrás da Índia, penúltima do bloco. Entre os latino-americanos, o país terminou em oitavo. Chile liderou a região (32º), seguido de México (48º) e Uruguai (54º).

O Brasil teve “tamanho do mercado” (10º maior) e “capacidade de inovação” (40º) como os melhores pilares. “Sistema financeiro” (55º) também teve desempenho acima da média. O país, no entanto, sofreu com “estabilidade macroeconômica” (115º) e “mercado de produtos” (124º).

Cingapura, apesar de não aparecer entre as 10 mais inovadoras, terminou com a primeira colocação geral.

Confira os 10 países mais inovadores — e motivos para o bom desempenho:

Alemanha

A Alemanha ficou em primeiro de inovação pelo segundo ano seguido. A pesquisa cita a vasta quantidade de patentes registradas no país – 290 por 1 milhão de habitantes – como um dos motivos. No geral, ficou em 7º.

Estados Unidos

Além do segundo lugar em inovação, os EUA também foram vice geral. A inovação norte-americana é empurrada pela vasta produção científica e de pesquisa do país.

Suíça

A inovação na Suíça é puxada pela competência de sua força de trabalho, a melhor do mundo seguindo o ranking. O país também é número um em co-invenções por milhão de habitantes (71,42).

Taiwan (China)

Contabilizada de forma separada do resto da China, Taiwan é um dos melhores países do mundo em diversidade na força de trabalho (4º) e patentes por milhão de habitantes (3º).

Suécia

A Suécia se destaca na maneira como investe em inovação: 3,3% de seu PIB é voltado para pesquisa e desenvolvimento.

Coreia do Sul

A Coreia do Sul termina como segundo país asiático mais inovador. Foi o segundo país que mais investiu em pesquisa e desenvolvimento, e ainda teve bom desempenho em patentes e invenções.

Japão

O Japão é imbatível com patentes: são 490 a cada milhão de habitantes, de longe a maior marca do mundo. No geral, ficou em 5º.

Reino Unido

O Reino Unido ficou em 2º em artigos publicados e 5º na qualidade geral de suas instituições de pesquisa.

França

Mais um país empurrado pela qualidade de sua pesquisa científica. A França tem menos artigos publicados que o Reino Unido, mas maior qualidade de suas instituições de pesquisa.

Países Baixos

A Holanda foi um dos países que mais evoluiu de 2018 para cá. O seu melhor índice é a colaboração entre acionistas (3º).

Fonte: Época Negócios

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui