Seis detentos do Presídio de São Lourenço (MG) obtiveram boa pontuação no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e vão ingressar na faculdade. Um deles é o Paulo Sérgio Dias, de 50 anos, que será o primeiro da família dele a fazer um curso superior.

“A vontade de mudar de vida, ter um conhecimento melhor e poder arrumar um trabalho honesto e digno lá fora, para poder viver junto com a família de verdade e não voltar mais ficar nesse lugar, preso”, disse.

Paulo e os outros detentos haviam realizado o Enem de 2019 e aguardavam para dar início aos estudos. Este ano, no exame referente a 2020, 289 presidiários fizeram a prova em Minas Gerais. De acordo com o Ministério da Educação, o Enem Prisional segue o mesmo grau de dificuldade do exame padrão.

“Muito feliz, satisfeito, me senti realizado por ter conseguido. Quando todo tenta fazer a prova e não consegue, a gente fez e conseguiu. É uma felicidade”, falou Paulo.

Itamar Francisco Filho é outro detento de São Lourenço que vai ingressar no ensino superior. No presídio, ele já havia concluído o segundo grau e, agora, fará faculdade.

“O estudo foi a primeira fonte que eu vi para preencher meu tempo. Ai me dediquei totalmente o que pude. O presídio tem uma biblioteca muito boa que tem material. Vou pegando o material, estudando e se preparando”, falou.

“O fato de estar em uma cadeia, não é muito fácil. Psicologicamente a gente fica abalado e conseguir passar no Enem, que é tão disputado, tão concorrido, foi uma emoção muito grande. Uma satisfação enorme”, completou.

Detentos de São Lourenço (MG) prestam Enem e vão ingressar em faculdade — Foto: Reprodução/EPTV

Detentos de São Lourenço (MG) prestam Enem e vão ingressar em faculdade — Foto: Reprodução/EPTV

Estrutura no presídio

No Presídio de São Lourenço, 29 detentos se inscreveram para o Enem, número que ainda é considerado baixo pela direção. A aposta na instituição é que o exemplo dos aprovados incentive os demais.

“Vai incentivar bastante porque, na verdade, nós tivemos 10 classificados pelo Prouni. Temos os outros presos que estão já pedindo para estudar. A gente está fazendo nosso trabalho para poder colocá-los na escola a partir de março. Segundo a lei de execução penal, todo preso tem direito à educação, à saúde”, comentou o diretor de atendimento e ressocialização, José Henrique Martins.

O próximo Enem para pessoas privadas de liberdade será realizado nos dias 22 e 23 de fevereiro.

“Acreditando é possível. A cadeia não é o fim do mundo desde que a gente possa buscar de verdade a melhora, o aprendizado, a ajuda. Os próprios funcionários do presídio nos dão dica, nos ensinam. É possível para qualquer um passar no Enem ou em outro concurso. Tem que buscar e acreditar”, declarou Itamar.

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui