Alunos praticam meditação em escola na Zona Oeste de São Paulo — Foto: Reprodução/TV Globo
série Diário de Escola apresenta projetos que estão promovendo mudanças positivas em escolas públicas de São Paulo. Ideias para aprimorar o ensino de matemática, aumentar a participação da comunidade escolar na gestão das instituições, combater a evasão e a violência escolares, são alguns exemplos.

A escola estadual Dulce Leite da Silva, no Itaim Paulista, Zona Leste de São Paulo, decidiu incluir meditação uma vez por semana na grade de aulas dos alunos de 7 a 11 anos.

“Quando a gente faz meditação aqui na escola, quando a gente fecha os olhos, eu penso na melhor coisa que existe na vida. Eu penso nas coisas boas que podem acontecer com a minha família, meus amigos”, diz Gabriel da Silva Lima, de 10 anos.

De acordo com a vice-diretora da escola, Cláudia Vasconcelos Lima, a ideia de iniciar as aulas de meditação surgiu em julho do ano passado.

“Como nós tínhamos um índice muito alto de conflitos, de brigas, de raiva, então eu fui em busca de pesquisar sobre a meditação para crianças”, diz.

Segundo ela, os conflitos entre as crianças caíram em média 70% desde então. “Eu vi que muitas pessoas que fazem essas brincadeiras agressivas, elas fazem a meditação e estão parando de fazer. Então é uma coisa muito boa para a criança”, diz Chllini dos Santos, de 7 anos.

O projeto também levou para a escola os “potes da calma”. Dentro deles os alunos colocam elementos que representam pensamentos inquietantes. Todas as vezes que eles se sentem com os pensamentos, eles chacoalham o recipiente para a mete ficar mais tranquila.

Além da meditação, os alunos também se reúnem uma vez por semana com os professores para discutir problemas da sala de aula.

Alunos praticam meditação na Zona Oeste de São Paulo — Foto: Reprodução/TV Globo

Alunos praticam meditação na Zona Oeste de São Paulo — Foto: Reprodução/TV Globo

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui