No primeiro semestre de 2020, apenas 33,12% das vagas foram preenchidas por mulheres, enquanto em 2021 o índice subiu para 47,83%

A pandemia trouxe à tona o interesse e a oportunidade de que mais mulheres possam buscar uma educação formal. É o que mostra o relatório socioeconômico do processo seletivo das Faculdades de Tecnologia do Estado (Fatecs). Em relação ao ano de 2020 houve um aumento de 14,71% entre mulheres inscritas, um recorde em presença feminina.

“Sabemos que a mulher tem grande sobrecarga de afazeres e mais dificuldades no mercado de trabalho. Após avaliarmos esses dados, percebemos que a procura se deve ao fato de que elas estão buscando alternativas na educação para aumentarem a sua chance de empregabilidade”, explica o professor Francisco Borges, consultor da Fundação de Apoio à Tecnologia (FAT), instituição responsável pelo levantamento.

No primeiro semestre de 2020, apenas 33,12% das vagas foram preenchidas por mulheres, enquanto em 2021 o índice subiu para 47,83%, um aumento significativo. A educação presencial é tida como um obstáculo àquelas que acumulam vários turnos de funções, como filhos, casa e trabalho. “Com a pandemia os cursos na formatação online serviram como um facilitador para a procura e a chance dessas mulheres em terem mais alternativas no mercado”, ressalta Borges.

Ainda segundo o especialista da Fundação de Apoio à Tecnologia, esse levantamento é importante para mostrar também a mudança no perfil dos interessados nos cursos, uma vez que existe a crescente demanda no ensino remoto ou híbrido. “Estudar é importante e manter um planejamento na formatação das aulas, visto a necessidade da população, é imperativo. Investir no planejamento para cursos EaD supriria a necessidade de algumas pessoas, principalmente mulheres, no acesso à Educação. Acredito que estes índices sejam de extrema relevância às políticas públicas de gestão na área”.

Educação e trabalho

A educação a distância, em tempos de pandemia, tornou-se uma ferramenta eficaz. “Adotamos aulas síncronas remotas e mantivemos nossos cursos de Recursos Humanos e Administração na Fundação. Para minha alegria, uma de nossas alunas foi beneficiada com uma promoção em sua área, justamente porque estava ainda mais capacitada para a função. Isso é gratificante quando pensamos nas dificuldades deste momento”, conclui Borges.

Sobre a Fundação FAT

A Fundação de Apoio à Tecnologia – FAT foi fundada em 1987 com o propósito de incentivar a pesquisa aplicada, a inovação, o desenvolvimento tecnológico e profissional e a educação em todo o território nacional, estendendo esses serviços a organizações públicas e privadas, e também à comunidade em geral. Como entidade de direito privado sem fins lucrativos, a FAT tem como objetivo colaborar com as instituições que atuam nas áreas da educação e da tecnologia, buscando estimular e desenvolver o conhecimento através de programas de geração, difusão e transferência de tecnologia.

Via: Compliance Comunicação

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui