Por ano, são jogadas fora 700 mil toneladas de cascas e fibras da laranja somente na Itália. A Orange Fiber, uma pequena empresa italiana, criou uma forma de transformar esse desperdício em modaAdriana Santanocito e Enrica Arena, fundadoras do negócio, criam tecidos sustentáveisque usam apenas restos da laranja.

Tudo começou quando Adriana ainda estava na faculdade de design de moda em Milão, em 2011.

Na época, a empreendedora precisava de um tema que sustentasse um trabalho da faculdade. Surgiu, então, a ideia de desenvolver o tecido sustentável com insumos de frutas cítricas.

Na época, Enrica era sua colega de quarto e gostou da ideia da amiga, decidindo entrar no projeto.

Peça da colaboração entre a startup e a marca sueca H&M (Foto: Reprodução/Instagram)

As duas passaram alguns anos estudando a ideia e desenvolvendo a tecnologia. Em 2013, Adriana e Enrica patentearam o processo.  Com ajuda de investidores anjo, em 2014, a startup abriu dois escritórios, nas cidades de Catania e Rovereto, ambas na Itália.

Em 2013, a Orange Fiber patenteou em todo o mundo o processo de produção dos tecidos (Foto: Reprodução/Instagram)

O tecido é feito com a extração de celulose das fibras que são descartadas da laranja. Com técnicas de nanotecnologia, a startup enriquece as fibras com óleos essenciais da fruta.

Desde então, a startup já trabalhou com a famosa grife italiana Salvatore Ferragamo e com a marca de fast-fashion sueca H&M.

Fonte: PEGN

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui