E AGORA? COMO OS LÍDERES ORGANIZACIONAIS PODEM REAGIR AOS NEGÓCIOS NO PÓS COVID?  FORÇAS MACRO DE MUDANÇAS E QUE NORMALMENTE ESTÃO FORA DO CONTROLE DE UM LÍDER / ORGANIZAÇÃO. É PRECISO FAZER REBOOTS!

Um surto da magnitude do COVID-19 causou mudanças profundas no cenário macro, fatores que afetam negócios, governos e sociedade, criaram as condições necessárias para a disrupção. Todas essas forças estão em transformação nesse momento de enfrentamento ao COVID, ou seja, fazendo reboots em diversas áreas. Uma disrupção é resultado de mudança em um ou mais braços dessas forças. Nesse momento de transformações torna-se necessário uma análise ampla.

TEORIA DAS FORÇAS FUTURAS

1. DISTRIBUIÇÃO DE RENDA: historicamente as crises econômicas contribuem para uma concentração maior da renda e essa mudança de dinâmica pode ser campo fértil para novos modelos de negócio que atendam novas necessidades.

2. EDUCAÇÃO:  o fechamento das escolas culminou em uma migração temporária do estudo primário, secundário, universitário para o digital. Também observamos um crescimento de cursos online de temas variados e o tripé educacional Ensino, Pesquisa, Extensão sendo invesrtido.

3. INFRA ESTRUTURA: essa nova dinâmica está fazendo com que toda uma infra-estrutura seja repensada para atender essa nova realidade, seja a virtualização do trabalho, das relações e do entretenimento, seja no que tange a mobilidade e cadeia de suprimentos.

4. GOVERNO: mudanças regulatórias estão sendo discutidas para acomodar melhor a vida de seus cidadãos e acelerar inovações tecnológicas capazes de trazer mais segurança e conforto.

5. GEOPOLÍTICA:  a COVID19 também mudou a dinâmica entre países, seja no fechamento de fronteiras, acordos comerciais e principalmente no que tange a capital e investimentos.

6. ECONOMIA: cenários recessivos e alta taxa de desempregos vem mexendo com a economia de todos os países impactados.

7. SAÚDE PÚBLICA: o centro de toda a discussão e como acelerar políticas públicas, investimentos, pesquisas e a infra-estrutura dos sistemas de saúde públicos no combate ao COVID-19.

8.DEMOGRAFIA: infelizmente, a taxa de infectados e a taxa de mortalidade entre diferentes taxas da população pode impactar a demografia dos países.

9. MEIO AMBIENTE:  no meio das discussões acerca da saúde, começam a se perceber impactos direto no meio ambiente. Nas primeiras semanas de Março relatou-se diminuição de 50% nos níveis de poluição na cidade de São Paulo.

 10. MÍDIA E TELECOMUNICAÇÕES: os impactos aqui são referentes a como nós enviamos, recebemos e consumimos informações, e também como nos conectamos com as pessoas, apresentando profundas transformações.

11. TECNOLOGIA: é o tecido conjuntivo que liga negócios, Governo e sociedade por isso ele permeia todas as outras.

 Aqui olhamos para desenvolvimento de tecnologias emergentes, bem como sinais técnicos dentro de outras fontes de mudança.

FORÇAS MACRO PARA DISRUPÇÃO MACHINE LEARNING + SINAIS: A automação aplicada ao momento de crise.

O avançado algoritmo de Machine Learning utilizado nas otimizações das campanhas geram decisões assertivas e resultados otimizados. O protagonismo na área de Machine Learning, associado à riqueza de sinais compreendidos combinam-se numa proposta única de capturar relevância contextual. São diversas as possibilidades de sinais a serem otimizados: desde eventos ONLINE a efetivações OFFLINE. Sendo assim, essas é mais um dos reboots que promoverão mudanças no pós-pandemia.

Quanto mais próximo do objetivo de negócio melhores serão os resultados, combinando sinais online e offline para maximizar eficiência de mídia, aquisição qualificada para incentivar a encontrar melhores usuários através do envio offline de uma combinação de sinais de qualificação  engajamento qualificado, criação de campanhas para grupos de usuários específicos para ampliar audiências a partir da inteligência de dados gerados por plataformas como a do Banco do Brasil e da Google que geram criação de audiências com base em dados de CRM para ofertas de produtos adicionais à usuários já correntistas (ex: crédito parcelado, financiamentos, …) e campanhas de re-engajamento para usuários com tendência em desinstalar o aplicativo dentro dias subsequentes esse exemplo vem sendo seguido pelas empresas e universidades como atrativo de novos talentos e alunos. Vamos ao novo, estamos em época de reboots e a disrupção aplicada em todos os segmentos e bem agregadora e geradora de novos negócios.  

ViaOlinda Marinho
Olinda Marinho
Sou mestre em Turismo, Hotelaria e Planejamento Estratégico; possuo MBA em Comércio Internacional e Planejamento Estratégico; Administração em Comércio Exterior e Negociações Internacionais. Atualmente, dirijo e coordeno projetos focados em empreendedorismo da Amazônia. Sou presidente da Rede de Inovação e Empreendedorismo da Amazônia – RAMI, diretora da Marinho Soluções e Sistemas Integrados em Comércio Exterior, Scrumaster e Head de aceleração de times para estruturação e aceleração de startup. Também sou Membro da coordenação de CTI da FIEAM, Coordenadora do Núcleo PEIEX/APEX/AM/RR, diretora executiva da Aliança ABIO, coordenadora da Sub-Câmara de Empreendedorismo Jovem do CODESE, coordenadora do NAF-COMEX/SRFB – Região Norte. Ainda atuo como professora, mentora, palestrante futurista e agente de mudanças.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui