Uma marca conhecida no mercado, com o planejamento e a logística prontos, e suporte total para manter o empreendimento. Estas são apenas algumas das vantagens de abrir uma franquia, um modelo de negócio que vem crescendo e que, de acordo com a Associação Brasileira de Franchising (ABF), terá os segmentos de alimentação e educação como tendência em 2020.

Hoje ocupando o 6º lugar no Brasil no ranking das capitais com o maior número de unidades franqueadas, Salvador e a Bahia têm caído nas graças dos donos de franquias, que buscam trazer seus negócios para o Nordeste. A razão disso, explica Leonardo Lamartine, diretor regional da ABF no Nordeste, é porque essa região ainda tem muito espaço para ser preenchido, diferente de regiões como o Sudeste.

“Em São Paulo, por exemplo, existe uma saturação de pontos comerciais, além do custo de ocupação. A região Nordeste ainda tem muita oportunidade de crescimento, muitos segmentos que ainda podem ser bem explorados”. Dentre esses segmentos, Leonardo sinaliza que os dois que devem ter o maior número de novas franquias abertas no Nordeste são alimentação e educação.

Como o mais novo franqueado do delivery Brasileirinho, inaugurado no dia 4 de dezembro deste ano, Eduardo Bastos conta que sua principal motivação em abrir a franquia, junto com a esposa Eliana Figueiredo, foi a vontade de empreender.

Se alimentar é uma necessidade básica do ser humano e por isso considero esse ramo um dos mais seguros para investir. Tanto que hoje o ramo alimentício é um dos que mais movimentam a nossa economia. Notei o crescimento do Brasileirinho e me interessei pelo cardápio e o modo diferente de armazenar o alimento”, conta.

O empresário conta que foram meses de treinamento e aprendizados, para compreender a fundo o funcionamento real da franquia. E que fez um esforço redobrado para que conseguisse abrir a loja ainda este ano, para já começar 2020 com o negócio pronto. De acordo com dados da ABF, só em 2019 houve um aumento de 8,82% do número de unidades franqueadas abertas na capital baiana em comparação a 2018.

Busque identificação

Para Eduardo, a praticidade e até a comodidade de abrir uma franquia são algumas das grandes razões desse aumento, ainda que existam muitos trâmites legais que são necessários e podem causar certa dor de cabeça. Por isso, ele aconselha, avaliar o mercado tem sua importância quando se deseja abrir uma franquia, mas, acima de tudo, é importante atuar em um segmento no qual a pessoa se identifique.

E foi por identificação e uma busca pelo próprio crescimento pessoal que fez a ex-professora acadêmica, formada em psicologia e com mestrado em educação Neusa Marques ter se tornado uma franqueada da escola de ginástica cerebral Método Supera, no bairro da Garibaldi. Ela conta que a sua preparação começou em julho de 2014, quando começou sua capacitação, estruturou o ponto comercial, arrumou os equipamentos e tudo o mais que foi necessário para abrir as portas do Supera oito meses depois, em abril de 2015.

Para a franqueada, a razão de o segmento de educação ser uma tendência parte do quão evidente tem se tornado que as pessoas não estavam totalmente preparadas para a década do consumo. “A década do consumo não deu conta do ter e do bem consumo. Existe essa necessidade do ter, mas o mercado de trabalho anda cada vez mais difícil, e as pessoas precisam se modificar e se capacitar. A tecnologia está disponível para todos, mas as pessoas precisam se diferenciar”, explica Neusa.

Demanda alta

Desde agora muitas empresas já estão começando a contratar, afirma Jilo Shimada, e para os próximos anos a expectativa é que a demanda aumente. “Porém existe uma imensa falta de mão de obra qualificada no Brasil, e, para conseguir uma oportunidade, muitas pessoas precisam recorrer a cursos para se qualificar ainda mais para alcançar essas vagas”.

Formado em administração de empresas, direito e com pós-graduado em análise de sistemas, Jilo é diretor de expansão da Via Certa, escola profissionalizante fundada em 2012, que planeja chegar à Bahia em 2020. A prioridade, conta o diretor, é Salvador. Porém a médio prazo o objetivo é chegar a todos os municípios da Bahia, e, para acelerar isso, eles optaram por realizar o credenciamento de FDA (franqueado desenvolvedor de áreas) para facilitar a expansão e o suporte aos franqueados.

Faz parte desse processo, ele conta, participar de todos os treinamentos e seguir os manuais de funções rigorosamente, e não querer reinventar a roda, pois o mais difícil já foi feito, que é a formatação da operação. Na Bahia, especificamente, o plano é instalar esses FDAs nas regiões de Salvador, Itabuna, Vitória da Conquista e Barreiras, com potencial para mais de 100 unidades no estado.

“Temos mapeado cerca de 70 territórios, onde o FDA se torna praticamente sócio da franqueadora, tendo participação na taxa de franquia e nos royalties, mas com a responsabilidade de abrir e dar suporte presencial aos franqueados do seu território. Através desse modelo a Via Certa tem um ambicioso objetivo de um crescimento exponencial a partir de 2020, devendo atingir todos os estados brasileiros”, diz.

*Sob a supervisão da editora Cassandra Barteló

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui