Conseguir emprego não é nada fácil, imagina mantê-lo?! A todo o momento qualquer um de nós pode ser substituído sem muitas cerimônias, mas perder o emprego por “falas inapropriadas” é um verdadeiro tiro no pé! Quase sempre não nos damos conta da importância da Comunicação nas relações de modo geral, o que repercute em desentendimentos, e com isso, várias emoções e sentimentos vêm à tona. Raiva, mágoa, tristeza e tantas outras podem afastar pessoas e romper negócios! Então, a dica é sempre estar atento ao ambiente e perceptivo às ações e reações momentâneas e encontrar a melhor maneira de agir no calor do momento, e não consumar o tiro no pé! Você pode ter todo o cartaz com o chefe, mas se falar algo sem pensar, fora do esperado ou do contexto, pode colocar toda a reputação construída ladeira abaixo.

Claro que esse assunto tem muito a ver com inteligência emocional, mas ela pode acabar sendo meio que uma consequência do que a boca solta “sem querer” num momento de vacilo. E pra evitar que frases pouco inteligentes saiam espalhando-se aos quatro ventos do escritório e sejam difíceis (ou quase impossíveis) de serem processadas positivamente, vamos nos atentar às frases que podem valer nossos empregos!

Marca pessoal

Antes, no entanto, é importante dizer que não é preciso se transformar num robô ou se tornar aquele ser que se expressa apenas por monossílabas. Cada um tem uma personalidade e isso inclui preferências, senso de humor, atitudes e é claro o jeito peculiar de falar, que – se bem observado – não o levará às saias justas no ambiente do trabalho. Manter suas características pessoais é manter a sua marca registrada, o que transmite confiança e segurança aos demais.

As frases aqui colocadas são apenas alguns poucos exemplos e nem precisam ser levadas somente ao pé da letra. A interpretação sugere muito mais o significado que elas representam do que o conjunto de palavras ordenadas. E também são só algumas importantes. Se você parar para refletir, irá observar que há muitas outras frases tão ou mais representativas que essas. Mas, já estamos partindo de algum ponto, dando alguns passos em relação ao assunto.

Não digas jamé

“Eu odeio este trabalho”! Mesmo que isso seja uma verdade verdadeira em momentos de alto desemprego, poucas opções de emprego e que você esteja extremamente ocupado em muitas demandas, essa frase ecoa no ambiente de forma muito negativa.

“Eu sempre fiz dessa forma”. Ufa! Essa é quase um murro no estômago. Em pleno século XXI falar algo assim, mostra o quanto o ser ainda está apegado a antigos modelos e sua dificuldade em assumir riscos e tentar outras formas mais eficazes de se resolver situações ou desenvolver projetos, por exemplo. Eu já passei uma situação similar num ambiente de trabalho em que – todas as vezes que eu tinha iniciativa e sugeria algo – a pessoa me dizia que no passado já havia sido feito e não havia dado resultado, mas, se eu estava propondo é porque também não estava dando resultado do modo que – naquele momento – estava sendo feito e as circunstâncias mudam, o cenário muda, as pessoas mudam, enfim!

“É impossível fazer isso”. Essa frase é muito limitante e mostra que o profissional não consegue ir além. Uma tremenda insegurança que reverbera nos demais membros da equipe. Isso é desmotivador e bota todo mundo pra baixo.

“A culpa não é minha”. Essa frase separa o time, inibindo uma relação cooperativa no ambiente institucional. Mostra que o empregado não busca por soluções e é até considerada uma expressão egoísta daquele que “tira o rabo fora” e deixa o circo pegando fogo, como se não fosse membro do time ou não tivesse nada a ver com a situação.

É justo?

Uma reportagem da BBC News Brasil, aborda o assunto por meio de comentários e dicas de Travis Bradberry, coautor do livro Inteligência Emocional 2.0 e cofundador da consultoria americana TalentSmart. Travis chama a atenção às situações embaraçosas e que não há como se retratar. “Estas falas vão além de comentários indevidos, piadas impertinentes ou frases politicamente incorretas”. Praticamente, as frases que Travis utilizou na matéria são as que eu mencionei aqui, por julgar serem as de maior destaque, porém o escritor menciona outras, dentre as quais, uma chamou minha atenção: “Não é justo”! Num país com tanta injustiça em todos os níveis e graus, pode soar apropriado usar a expressão, mas – no contexto do escritório – verbalizar isso, de acordo com Travis, parece que o falante é uma pessoa imatura ou ingênua por julgar que o mundo deveria ser mais perfeito. E faz sentido. Imagina alguém dizer que foi injusta a promoção da Maria ou do Zezinho?No trocadilho, seria injusto!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui