O futurista europeu Gerd Leonhard foi a estrela da abertura do 12º Encontro Nacional da Indústria (Enai), edição virtual realizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) dias 17 e 18 deste mês. Autor do livro Tecnologia versus Humanidade, ele afirmou que ao lado da tecnologia, devem estar os valores humanos. Colocou junto as siglas de iniciais inglesas STEM, de ciências, tecnologia, engenharia e matemática; e HECI, de humanidade, ética, criatividade e imaginação. Sobre o Brasil, ele afirmou que o país pode avançar muito se usar as tecnologias digitais para impulsionar o desenvolvimento econômico e, assim, reduzir as desigualdades sociais. Ao mesmo tempo, recomendou a preservação da natureza para o país não perder o que chamou de ‘revolução da sustentabilidade global’.

Locomotiva econômica

O presidente da CNI, Robson Braga de Andrade, mostrou em números, na abertura do Encontro Nacional da Indústria, as razões pelas quais o setor é uma locomotiva da economia do país. Segundo ele, a indústria responde por 21% do Produto Interno Bruto (PIB), gera 42% dos impostos estaduais, 32% dos impostos federais, tem mais de 10 milhões de trabalhadores e contribui com mais de 60% dos investimentos em pesquisa e inovação desenvolvidos no Brasil. O setor cobra reformas e novos acordos comerciais para crescer interna e externamente na fase pós-Covid-19, que vai exigir mais fornecedores industriais de regiões diferentes, para evitar desabastecimento.

Foto: O futurista Gerd Leonhard, que fez palestra em encontro da CNI (Reprodução)

Fonte: NSC Total

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui