O chefe de cozinha Mario Batali foi afastado da gestão dos restaurantes da família Bastianich e da rede de supermercados italianos Eataly, após uma série de acusações de assédio e agressão sexual. As denúncias contra o famoso cozinheiro vieram à tona em 2017, envolvendo ao menos quatro ex-funcionárias.

O italiano era sócio no Batali & Bastianich Hospitality Group há mais de duas décadas. Em um comunicado enviado à imprensa nesta semana, os irmãos e donos da marca, Tanya Bastianich Manuali e Joe Bastianich, afirmaram que compraram toda a participação do chefe de cozinha nos negócios.

“Mario está agora completamente afastado dos nossos negócios. Nesta semana, adquirimos todos os seus interesses em nossos restaurantes”, afirmaram. Batali “não vai mais lucrar com os restaurantes de qualquer maneira ou forma”, disse Tanya em entrevista ao The New York Times.

O grupo gastronômico mantém 20 restaurantes em oito cidades dos Estados Unidos. Batali também era sócio da rede de supermercados italiano Eataly, com uma unidade em São Paulo e com dezenas de outras ao redor do mundo.

As denúncias contra o chefe de cozinha foram primeiramente divulgadas no site Eater, em dezembro de 2017, com acusação de quatro mulheres. À época, Batali admitiu a culpa e fez um controverso pedidos de desculpas no formato de uma receita de pizza. As denúncias estão sendo investigadas pelas autoridades norte-americanas.

fonte: Isto É dinheiro

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui