12 – O Espaço:

O ser humano possui uma capacidade nata de defender seu território. Com o tempo desenvolveu a habilidade de conquistar espaços alheios. Assim, determinar o ponto de equilíbrio para não ser invasivo é fundamental, a fim de não sermos mal interpretados.

No campo pessoal, cada um tem delimitado de forma inconsciente seu próprio espaço de segurança. Dessa maneira, convém dividirem-se os espaços conforme a intimidade, visando impor a distância desejada:

Espaço Íntimo: até 50 centímetros. Pais, filhos, parentes, namorados, cônjuges.

Espaço Pessoal: de 50 centímetros a 1,00m. Reuniões sociais, coquetéis, festas.

Espaço Social: de 1,00m a 3,00m. Estranhos, prestadores de serviços ou recém conhecidos.

Espaço Público: A partir de 3,00m. Zona de conforto diante de um aglomerado de pessoas.

 

13 – Os Gestos Habituais Diários:

Segue abaixo a lista dos gestos habituais que temos durante um dia, nos mais variados contextos. Utilize-a como uma referência e pratique a percepção e observação para desenvolver sua habilidade de captar os canais de comunicação.

Assentir com a cabeça: concordância. Dica: serve como meio persuasivo, enquanto o interlocutor fala você assente lentamente em sinal de concordância, comunicando interesse, ampliando a abertura para o fornecimento de informações e captação.

Cuidado! Se feito rapidamente, dá sinal de que já se ouviu o suficiente, indica encerramento.

Balançar a cabeça: sinal negativo, às vezes se diz algo, mas o balançar da cabeça indica o verdadeiro sentido.

Cabeça baixa: negativismo, crítica.

Cabeça erguida: neutralidade. Se muito erguida, indica arrogância.

Cabeça inclinada ao lado: submissão.

Dedos polegares enfiados no cinto ou bolso: afirmação sexual.

Mãos nos quadris: gesto de desafio, de empreendedor, de confiança.

Perna sobre o braço da cadeira: indiferença.

Sentado com braços abertos e mãos na nuca: confiança, intimidação. Cria uma aversão feminina.  Indica-se tentar algo para desarmá-lo dessa posição.

Sentar-se inclinado a frente com as mãos nos joelhos: favorável, encerramento. Quando seguido de um alisar do queixo: prestes a fechar um negócio.

 

14 – A Mimetização:

O mimetizar consiste em reproduzir sutilmente os gestos do interlocutor, o que lhe possibilita estabelecer um vínculo. Isso cria um ambiente favorável para obter cooperação. Para o interlocutor representa igualdade. As mulheres tendem a espelhar mais a linguagem corporal dos homens e são mais perceptivas. A mulher usa mais o rosto para se expressar, enquanto o homem usa mais o corpo.

Observar: É o verbo chave nesse processo. A repetição leva à perfeição.

Cadenciar a voz: utilize a mesma entonação, o sotaque, o timbre, a velocidade e a inflexão do interlocutor. Nunca fale mais rápido do que ele para não pressioná-lo. A velocidade da fala indica a velocidade de captação analítica cerebral. Ao telefone a cadência é fundamental.

Cigarro: Geralmente alguém fuma para esconder a ansiedade. São pessoas que demoram mais tempo para tomar decisões. Embora aqueles que não o façam utilizem chiclete, roam unhas, batam o pé, tamborilam os dedos, coçam a cabeça, alisam relógio, jóias, etc. Desse modo, sugere-se negociar com um fumante quando ele não estiver fumando ou aonde ele não possa fumar.

Baforada pra cima: confiança

Baforada pra baixo: negativo, reservado.

Pulso a mostra: abertura.

Pulso virado: fechamento.

Apagar o cigarro antes do fim: indica encerramento.

ViaEdu Santos
Edu Santos
Edu Santos possui MBA em Gestão de Pessoas, mestrando em Gestão e Tecnologia aplicadas à Educação, palestrante, prof. de pós graduação pela Unifacs, Unijorge e Wyden nas disciplinas de Gestão Emocional nas Organizações e Motivação e Engajamento. Além disso, Edu é poeta e autor do livro "A Verdadeira Concepção do Engajamento e Motivação" (Literarebooks, 2017). Para outras informações, envie e-mail para palestrante@edusantos.pro.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui