O projeto tem o objetivo de ensinar o indivíduo a organizar seus gastos, diminuindo as despesas e economizando.

O Projeto de Lei 4882/20, do deputado Coronel Tadeu (foto), torna obrigatória a educação financeira no ensino médio. 

A proposta insere a medida na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB). A LDB prevê, hoje, disciplinas como língua portuguesa e matemática. São matérias obrigatórias no ensino secundário. As informações são da Agência Câmara de Notícias.

O texto em análise na Câmara dos Deputados também inclui a educação financeira em outros níveis de ensino.

E o texto destaca, por exemplo, o rol dos temas transversais obrigatórios da educação básica. Nele, contudo, estão a educação infantil, ensino fundamental e ensino médio. 

A LDB hoje prevê, no entanto, que os currículos abranjam obrigatoriamente o estudo da língua portuguesa e da matemática.

Também abrange o conhecimento do mundo físico e natural e da realidade social e política, especialmente do Brasil. 

De acordo com o deputado Coronel Tadeu (PSL-SP), “a educação financeira tem capacidade de potencializar e consolidar o desenvolvimento econômico e financeiro de uma nação”. 

“A educação financeira ensina o indivíduo a organizar seus gastos, diminuindo as despesas e economizando”, diz Tadeu. Em seguida, arremata: “Permite entender as melhores ações e investimentos para o seu dinheiro”.

Foto: Luís Macedo/Câmara dos Deputados 

Fonte: BNC

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui