A realidade virtual vem transformando o meio tecnológico e ficando cada mais acessível, graças às inúmeras possibilidades a qual pode ser aplicada. Como já dito antes no artigo ‘Vamos falar sobre startups¿’, inovação, solução de problemas e novas tecnologias andam de mãos dadas em uma startup e com a SensusCreation não poderia ser diferente.

Dentre o mundo de possibilidades que a realidade virtual oferece, o ensino através da simulação ganha destaque pela sua eficiência. Segundo uma pesquisa realizada pelo The Goldman Sachs Group (2016), os investimentos em VR (virtual reality)somarão, até 2025, o total de 35 bilhões de dólares, sendo 5,8 bi apenas para healthcare e educação, e é nessenicho que atua a SensusCreation.

A startup nasceu em 2017, nocurso OceanLab, oferecido pelo Samsung Ocean.O curso reuniu profissionais e estudantes de computação, design, comunicação e saúde,buscando soluções tecnológicas para problemas no ensino em saúde e healthcare. Através de uma idéiabaseada em sua experiência com a docência acadêmica e liderançaem enfermagem, a CEO Sibila Osis propôs um treinamento virtual em um ambiente seguro e imersivo, muito semelhante ao real, onde o aluno pudesse praticar seus conhecimentos teóricos sobre ventilação mecânica, sem colocar a vida de nenhum paciente em risco. Surgiu assim, o primeiro case da startup, o RealVM.

A equipe, então formada por programadores, designer (essa que vos fala) e a CEOespecialista na área de saúde, passou por várias etapas durante o curso que foram desde a exploração de ideiasaté a prototipação. O curso durou de outubro de 2017 a maio de 2018. Um dos principais problemas apontados pelas pesquisas de campo feitas pela equipe foi a dificuldade em praticar o conteúdo de ventilação mecânica, devido a sua complexidade teórica e ao alto custo de aparelhos para realizar uma simulação. A falta de prática neste conteúdo implica diretamente no risco altíssimo em se cometer erros e gerar danos ao paciente, e é esse o problema principal que a startup busca auxiliar na resolução, não substituindo a forma tradicional de ensino, mas servindo como principal ferramenta para melhor aprimorá-la.

Em novembro de 2018, a startup passou por um rigoroso processo de seleção e foi contemplada pelo edital Samsung Creative Startups, que está em vigor atualmente.Além da SensusCreation, mais três startups amazonenses estão participando do edital. O programa começou em janeiro e as atividades com as startups selecionadas, em abril. Essa parceria com a Samsung tem feito grande diferença na produção da equipe, abrindo portas para novas parcerias além de muitas mentorias com especialistas de renome no mercado.

Atualmente, o RealVM está em processo de maturação para em breve ser lançado no mercado.A principal motivação para a startup está no impacto que o produto trará para os alunos e profissionais de saúde, aumentando a retenção do conteúdo teórico através da prática em um ambiente seguro, livre de danos para o paciente e, consequentemente, salvando vidas.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui