Diversos países têm adotado tecnologias para amenizar a disseminação do novo coronavírus, bem como para tratar pacientes; conheça algumas delas nesta lista

Com a pandemia do novo coronavírus , muitas tecnologias têm surgido para tentar ajudar. Algumas soluções se comprometem a lidar com os pacientes, enquanto outras são utilizadas para diminuir os riscos de contaminação.

Nesta lista, separamos nove tecnologias que têm ajudado durante este período de disseminação do novo coronavírus . Conheça:

Robô Ninja – Tailândia

Chamado de Ninja, um robô é utilizado na Tailândia para poupar profissionais da saúde de entrarem em contato com pacientes da Covid-19 . Com tecnologia 4G, eles são capazes de detectar a temperatura dos pacientes, supervisionar sintomas e se comunicar por videoconferência.

Assim, os médicos podem ficar em outra sala enquanto os Ninjas têm contato direto com os doentes. Quatro hospitais já possuem o robô e outros dez estão na fila de espera. A tecnologia já existia anteriormente, e era usada para cuidar de pacientes vítimas de AVC.

Robô ensina higiene – Índia

Na Índia, robôs são utilizados para conscientizar e levar informações sobre o novo coronavírus. Eles distribuem materiais de proteção, limpam ambientes e mostram informações oficiais da Organização Mundial da Saúde (OMS) .

Drones com instruções – França e Espanha

Depois da orientação para ficar em casa, muitos franceses seguem saindo às ruas. Por isso, a polícia de Nice, na Riviera Francesa, fez parceria com uma operadora de drones para enviar avisos à população.

As aeronaves circulam pelos locais mais movimentados da cidade, emitindo avisos sonoros para que as pessoas se mantenham confinadas. Em Madri, na Espanha, medidas similares também foram tomadas.

Robô entregador – Inglaterra

coronavírus
Divulgação

O carrinho sai às ruas para fazer entregas

Para eliminar o contato humano , a cidade de Milton Keynes, na Inglaterra, já conta com a presença de robôs que fazem entregas à domicílio. Os dispositivos têm direção autônoma e mantêm os produtos trancados até que o cliente os destrave através do aplicativo em que realizou o pedido.

Para se locomoverem sozinhos, os carrinhos usam câmeras e sistemas de radar, ultrassom e GPS. Além disso, uma equipe humana os acompanha à distância, para evitar qualquer acidente.

Robô limpa metrô – Hong Kong

coronavírus
Divulgação

Robô esteriliza vagões de Hong Kong

Em Hong Kong, dispositivos são usados para borrifar peróxido de hidrogênio vaporizado em vagões de metrô, a fim de desinfetar os ambientes. A MTR, uma das principais redes de metrô do território autônomo no sudeste da China, colocou 20 robôs para esterilizar seus vagões.

Conversa à distância – Bélgica

A empresa ZoraBots disponibilizou robôs para casas de repouso na Bélgica. Os dispositivos conectam os idosos às suas famílias através de videochamadas . O objetivo é que eles consigam manter contato em um período em que as visitas às casas foram limitadas.

Robô esteriliza hospital – África do Sul

Com pulsos de luz ultravioleta , um robô é capaz de esterilizar quartos de hospital em Joanesburgo, na África do Sul. A medida foi adotada pelo hospital Milpark para evitar a disseminação do novo coronavírus entre os pacientes.

Robô faz serviço de quarto – China

No começo do ano, mais de 200 pessoas ficaram isoladas em um hotel em Hangzhou, no leste da China. Para levar comida e atendimento a essas pessoas, foram utilizados pequenos robôs, chamados de Little Peanut .

Os dispositivos percorreram os corredores do hotel levando alimentos a todos os pacientes em observação. Previamente programadas, as máquinas sabem qual trajeto fazer, em qual porta parar e o que dizer para avisar que o serviço de quarto já chegou.

Táxi voador – China

coronavírus
Divulgação

Táxi voador consegue levar materiais até hospitais

Sem a necessidade de um piloto, um táxi voador chinês é capaz de carregar 140 kg por até 31 km com uma única carga. Em meio à pandemia do novo coronavírus, a tecnologia tem sido aproveitada para transportar suprimentos até hospitais, evitando o contato humano.

Fonte: IG Tecnologia

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui