A tecnologia se tornou a maior aliada da educação desde o início da pandemia do novo coronavírus. Com as aulas presenciais suspensas, o Vetor Centro de Ensino lançou uma plataforma própria e ainda fez um alto investimento em estrutura que tem levado uma experiência diferenciada inovadora aos jovens que estão se preparando para as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e principais vestibulares do país.

“As salas do Vetor cederam lugar aos estúdios. Foram montados três estúdios de gravação de aulas e também para as transmissões ao vivo”, informou o coordenador educacional do Vetor, Paulo Amaral. Todo o conteúdo produzido vai direto para a plataforma Vetor Ensino a Distância (EaD), que traz aulas ao vivo e mais de 2.500 vídeos e 20 mil horas de aulas, tudo para os estudantes se aprofundarem ou relembrarem algum conteúdo mais específico que será cobrado nas provas.

O primeiro grande investimento em tecnologia realizado pelo cursinho foi na captação de imagem, som e iluminação. Para isso, foram adquiridas câmeras profissionais que gravam em alta definição, iluminação adaptada com luz de led, além da webcam 4K para as transmissões das aulas ao vivo. Dessa forma, os alunos conseguem acompanhar com nitidez todo o conteúdo.

“Outro fator que trouxe esse diferencial foi o aumento na velocidade da internet, que foi de 200 megas para 400 megas e, ainda, mudamos para fibra óptica, o que aumenta a estabilidade do sinal, principalmente neste período de chuva”, revela o coordenador educacional do Vetor.

Também houve investimento ao adquirir placas de vídeo que suportam e otimizam a qualidade do vídeo e edição. Para a ancoragem dos vídeos na plataforma do Vetor apostou-se em um sistema de streaming estrangeiro, o Vimeo, que comportasse as aulas gravadas a serem disponibilizadas para os alunos.

O Vetor também passou a contar com uma estrutura de retorno com um telão de led de 70 polegadas, ou seja, dessa forma os professores conseguem acompanhar o que é transmitido em tempo real e ainda interagir com os alunos durante as aulas.

Em breve, o cursinho também passará a contar com telas interativas, que também é conhecida como lousa digital, um recurso tecnológico semelhante ao touchscreen dos celulares atuais. O Vetor adquiriu três telas de 60 polegadas, que oferecem recursos que deixam a aula mais prática, lúdica e dinâmica.

“Sempre recebemos feedback dos alunos, a qualidade, interatividade e dinâmica das videoaulas tem aumentado o aproveitamento e a assiduidade deles. Por conta disso, alunos de grandes grupos educacionais da cidade preferem estudar o conteúdo escolar pela plataforma do Vetor”, disse o coordenador educacional do cursinho, Paulo Amaral.

Aluna da instituição desde 2019, Gabriella Fraiji Melo, de 17 anos, conta que desde o início da pandemia, quando passou a acessar a plataforma Vetor EaD, tem se surpreendido com as videoaulas. “A qualidade do áudio, imagem e a interação dos professores fazem toda a diferença, é  como se estivéssemos na sala de aula”, disse a jovem que está se preparando para ser aprovada em medicina nas universidades de São Paulo.

Quem também sonha em estudar medicina é a Isadora Levinthal, de 16 anos. A jovem começou a maratona de estudos no ano passado e tem como aliada nessa jornada a plataforma do Vetor. A resolução dos vídeos e a praticidade de acesso são os diferenciais apontados por ela. “Nós sabemos que a pandemia agravou a situação educacional, mas a forma com a qual o cursinho se adaptou foi impressionante”, comenta Isadora.

_________________________________
Três Comunicação e Marketing
Redes sociais:

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui